7 de mai de 2015

Slalom Conscience


 
A cidade de Águas de São Pedro é o menor município do estado de São Paulo e o local com o melhor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do país. Aqui parece até cenário de comercial de margarina: tudo limpo e organizado, população simpática e acolhedora, clima agradável, estação hidromineral e... ladeiras, muitas ladeiras, além de um skate park bastante funcional.
 

O evento Slalom Conscience pode remeter o público e seus participantes, à uma reflexão sobre as possibilidades que o skate tem como esporte.

O skate inserido no contexto ambiental do meio urbano:  realizamos um evento onde quase a totalidade dos resíduos sólidos gerados no mesmo, entrou na cadeia da reciclagem. Para que isso ocorresse, escolhemos parceiros que tem como preocupação a preservação do meio ambiente.

 
Podemos citar a AMAZOO, açaí que foi distribuído para os competidores e público participante em embalagem ecológica e em eco-copos. E os shapes da marca CUSH que foram distribuídos na premiação, que utilizam em sua fabricação, madeira certificada e resina ecológica, além de todo um processo de gestão de resíduos em sua fabricação.  As camisetas do evento, também foram produzidas com algodão orgânico pela marca Eszy.  E os tênis (calçados) distribuídos na premiação,  pela Marca MAD BULL são embalados em papel reciclado.

O skate como opção de transporte sustentável em cidades pequenas e grandes: durante os três dias de evento, o skate transitou pela pacata cidade de Águas de São Pedro, sem gerar qualquer impacto ambiental e sim, gerando saúde e prazer aos seus praticantes.

O skate como arte, como reciclagem de matérias, como meio de transformação: A arte pode ser vista nos Toe Stops. brindes distribuídos aos competidores pela Hard World Environmental. O material para a fabricação dos Toe Stops (MDF), foram na verdade rodapés de residências atacados por cupins, que foram captados, tratados e transformados.

O skate como meio de integração e sociabilização:  o envolvimento e participação de um público que transitou por diversas faixas etárias, dos 2 anos de idade até os 83 anos, confirma que a prática do skate é um esporte que sendo bem direcionado, não tem fronteiras. Tivemos praticantes do esporte presentes no evento, com idade de 68 anos (Claudinho Tracker) e entre o público, espectadores com idade superior.

O Slalom, modalidade inicial do skate, pode ser definido como uma corrida técnica realizada através de obstáculos (cones), ganhando quem chegar primeiro na marca final do percurso.
A capacidade de interação entre o skate e o meio ambiente pode ser vista na atmosfera do local. Tranqüilidade e paz regadas com um pouco de adrenalina, fizeram dos três dias de evento, um ótimo entretenimento para o turismo da cidade. Pais com seus filhos passeando pela área de competição, interagindo com os competidores numa atmosfera cheia de energia positiva.

A presença do Recordista Mundial de Slalom, o sueco Mikael Hadestrand e dos também suecos Pelle Plast e sua esposa Therese, abrilhantaram o evento e deixaram saudades na população da cidade que interagiu muito com os atletas.

Os “pegas” acirrados, mostraram a plasticidade da modalidade slalom e dentre elas, podemos destacar os brasileiros Tiago Gardenal, Bruno Silva e André Fuchs como os atletas que levaram o Brasil a promissoras posições no ranking mundial.
 

Agradecemos a SECTUR e equipe, prefeito de Águas de São Pedro – Paulo Ronan, secretaria de Saúde de Águas de São Pedro disponibilizando ambulância para todos os dias do evento, as estadias: Pousada Mineira Noronha, Termas Water Park, Pousada Nossa Senhora Aparecida, Hotel Santo Antonio, Pousada Estrela da Manhã. Os chalés Cheiro da Terra Stravagança e Ofício Arte bambu. O responsável pela manufatura de nossas rampas Paulo Falcato e a equipe de som Kansom Sonorização. E não menos importante todos os voluntários que ajudaram na organização do evento como: os escoteiros e staffs.
 

Que Venha 2016 !!!

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário