31 de mai de 2016

SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2016

 
Revirando meus arquivos em busca de fontes para escrever algo comemorativo em homenagem a semana do Meio Ambiente, encontrei dois conceitos: O conceito de Comportamento social e o conceito de Gestão Ambiental. Ambos foram, pesquisados, interpretados e contextualizados por mim, na época em que cursava a faculdade de Tecnologia em Gestão Ambiental.

Primeiro conceito: O comportamento social relaciona os seres humanos que precisam da convivência em grupo para adquirir o acúmulo de sucessos das gerações anteriores, transmitido culturalmente, condutas e procedimentos, ou o conjunto das reações observáveis em indivíduos em determinadas circunstâncias inseridos em ambientes controlados ou não. EM FIM o comportamento é definido como o conjunto de reações de um sistema dinâmico em face às interações e realimentações propiciadas pelo meio onde está inserido.

Segundo Conceito: A Gestão Ambiental visa ordenar as atividades humanas para que estas originem o menor impacto possível sobre o meio. Esta organização vai desde a escolha das melhores técnicas até o cumprimento da legislação e a alocação correta de recursos humanos e financeiros.

A reflexão que deve ser trabalhada após a leitura destes conceitos pode ser questionada da seguinte forma: O que significa a sociedade para nós e como nos entendemos dentro da sociedade em que vivemos atualmente? Estamos buscando qualidade de vida através de ações e atitudes sustentáveis que preservem o meio ambiente? Ou estamos em um total descontrole de ações globais que interferirão nos diversos Ecossistemas, proporcionando degradações na Biosfera?

Você já parou para tentar entender esta cadeia ambiental: Biosfera, Bioma, Biota, Ecossistema, Ecossistemas Naturais, Impactos Ambientais, Poluição Ambiental, Contabilidade Ambiental e Qualidade de vida?

Enfim o problema está todo ai! no mau gerenciamento do bem mais precioso que temos: a vida! Seja ela Humana, Espiritual, Social, Política ou Ambiental.

Devemos aproveitar esta semana de comemorações ao dia mundial do meio ambiente (5 de junho) para nos posicionarmos em relação a que futuro queremos para as nossas vidas e que tipo de qualidade de vida buscamos.

Eu quero viver em um País Justo, com economia equilibrada e sustentável, Sem Corrupção, Com Qualidade de Vida, onde seus risonhos lindos bosques têm mais flores...!!! Fora Políticos Ignorantes e Corruptos

* BIOSFERA: Tudo o que vive no ar, no solo, no subsolo e no mar formam a biosfera.

POR : Rogério Nogueira /RN2016

16 de out de 2015

O VERÃO VEM AI!!! Previna-se contra Pragas Urbanas, Ácaros e Bactérias...


 
A Primavera anuncia a temporada de manifestações da flora e fauna, pré-anunciando a chegada do Verão. As pragas urbanas continuam trabalhando se multiplicando e infestando imóveis e residências, promovendo desequilíbrio e transtornos em ambientes.
As projeções meteorológicas de vários países, apontam para a tendência verificada nas últimas estações, de temperaturas extremas acima da média, ou muito calor ou muito frio!!
Com as temperaturas mais quentes, o ciclo de vida dos insetos, entre eles traças, besouros (Brocas), formigas, Cupins e outros, que estão diretamente ligados à sazonalidade do clima da região e a disponibilidade de recursos alimentares pode prolongar-se fazendo com que muitos dos insetos que passam o período do outono inverno em um estágio de descanso, mantenham suas atividades nidificando e consumindo alimentos.
Evite aborrecimentos futuros, atuem preventivamente realizando um trabalho de Controle Integrado de Pragas Urbanas ou Higienização de Ambientes. Aproveite a Primavera para deixar sua casa isenta de insetos, Ácaros  e bactérias no Verão.
Como sugestão o Blog HardWorld  Things, orienta você a contatar uma empresa com visão ecosistêmica para realizar trabalhos relacionados ao meio ambiente onde você vive.
Indicamos a Hardcontrol uma empresa que atua no segmento da Gestão Ambiental e Controle Integrado de Pragas urbanas para avaliar e isentar seu imóvel de pragas, ácaros e bactérias.
 
Aproveite também e faça uma higienização de seu imóvel.
 

HARDCLEAN, é a aplicação do Sistema de Limpeza Rainbow em seu imóvel, é a mais recente evolução na história de um sistema de aspiração e limpeza doméstica verdadeiramente revolucionário. Baseado no princípio de "o pó húmido não pode voar", o Rainbow usa um sistema exclusivo de filtragem à base de água. Quando se fala de Rainbow, estamos falando em casa limpa e higienizada. O significado da palavra BEM ESTAR tem sido um dos grandes atrativos entre as pessoas que procuram o sistema de limpeza RAINBOW. Rainbow é sim um equipamento que foi desenvolvido para que sua família se previna dos males que os Ácaros, fungos e bactérias causam a saúde. Mal esse que atinge milhões de pessoas que sofrem ou adquirem algum tipo de alergia no decorrer da vida. Ligue e contrate uma aspiração e higienização para sua casa ou escritório.
 
 
 
 
Fale com agente e agende uma visita técnica se compromisso.
Escritório: 11-38628473 – Gestão Técnica 11-94779-2857 (ID121*63636) – Tecnólogos


http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/1213360-calor-umidade-e-descuido-causam-invasao-de-pragas-urbanas-em-sp.shtml


6 de jun de 2015

05 DE JUNHO, TODO DIA È DIA DO MEIO AMBIENTE...

 
MEIO AMBIENTE - HOJE É TEU DIA!!! 05 DE JUNHO
 
TERRA, NOSSO LAR
A humanidade é parte de um vasto universo em evolução. A Terra, nosso lar, é viva como uma comunidade de vida incomparável. As forças da natureza fazem da existência uma aventura exigente e incerta, mas a Terra providenciou as condições essenciais para a evolução da vida. A capacidade de recuperação da comunidade de vida e o bem-estar da humanidade dependem da preservação de uma biosfera saudável com todos seus sistemas ecológicos, uma rica variedade de plantas e animais, solos férteis, águas puras e ar limpo. O meio ambiente global com seus recursos finitos é uma preocupação comum de todos os povos. A proteção da vitalidade, diversidade e beleza da Terra é um dever sagrado.
 

 A SITUAÇÃO GLOBAL
Os padrões dominantes de produção e consumo estão causando devastação ambiental, esgotamento dos recursos e uma massiva extinção de espécies. Comunidades estão sendo arruinadas. Os benefícios do desenvolvimento não estão sendo divididos eqüitativamente e a diferença entre ricos e pobres está aumentando. A injustiça, a pobreza, a ignorância e os conflitos violentos têm aumentado e são causas de grande sofrimento. O crescimento sem precedentes da população humana tem sobrecarregado os sistemas ecológico e social. As bases da segurança global estão ameaçadas. Essas tendências são perigosas, mas não inevitáveis.
 
Estamos na SEMANA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE. – Dia Mundial: 5 de Junho.

 Bom, infelizmente as notícias na Amazônia não são boas.
O desmatamento em toda região Amazônica, ainda é enorme.
De acordo com o Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia), em um ano o desmatamento em Roraima aumentou 58%.
Segundo o Greenpeace, esse é o tipo de desmatamento mais predatório. É o chamado corte raso, quando madeireiros usam tratores para derrubar praticamente toda a vegetação, e depois fazer a queimada. O objetivo não é apenas extrair madeira, mas também abrir terreno para a instalação de fazendas de criação de gado e produção de grãos, principalmente soja.
Já no Pará, só em junho 2014 foi desmatada uma área tão grande que caberiam nela cerca de 405 mil campos iguais ao do Maracanã. Foram destruídos 2.898 km². Árvores e mais árvores foram derrubadas.
O Mato Grosso (18%) e o Pará (70%) foram os estados que mais desmataram. No Mato Grosso, para aumentar a produção de soja e milho. Já no Pará, são as obras de infra-estrutura e a construção de usinas hidrelétricas que vêm contribuindo para a especulação de terras públicas e a derrubada da floresta.
“Essas obras de infra-estrutura que estão sendo implementadas na região têm atraído um volume muito grande de pessoas para cá. Isso acaba favorecendo a ação de grileiros na região, que tentam tomar posse através do desmatamento de novas áreas, para tentar regularizar e, posteriormente, tentar vender essas áreas”, afirma Antônio Fonseca, pesquisador Imazon.
Outro grande problema é a utilização do Boto como isca na pesca de piracatingas.
Matar o boto para usá-lo como isca é uma característica ilegal desta pescaria. Por isso, desde janeiro deste ano, está proibida por cinco anos a pesca da piracatinga em todo o território brasileiro. Porém, na Colômbia ainda é permitida a entrada desses peixes. Portanto ainda há pescas ilegais na Amazônia, de difícil fiscalização.
Todo pescador cadastrado tem direito a seguro defeso de um salário mínimo por mês. Usando o boto como isca, a tarefa é fácil. Atraídas pela gordura, as piracatingas ficam tão excitadas, e são tantas, que os pescadores podem pegá-las com a mão, e atirar para dentro da gaiola. Ou arrastar uma dezena de cada vez.
A carne de um boto rende até uma tonelada de piracatinga, e é vendida por um real aos frigoríficos da região, que processam o produto e podem tanto comercializá-lo nas cidades próximas quanto exportá-lo à Colômbia
Na Amazônia, portanto há um grande impasse: como manter atividades rentáveis para muitas comunidades da Amazônia, sem que seja necessário atacar o Meio Ambiente, extinguindo espécies vegetais e animais?

7 de mai de 2015

Slalom Conscience


 
A cidade de Águas de São Pedro é o menor município do estado de São Paulo e o local com o melhor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do país. Aqui parece até cenário de comercial de margarina: tudo limpo e organizado, população simpática e acolhedora, clima agradável, estação hidromineral e... ladeiras, muitas ladeiras, além de um skate park bastante funcional.
 

O evento Slalom Conscience pode remeter o público e seus participantes, à uma reflexão sobre as possibilidades que o skate tem como esporte.

O skate inserido no contexto ambiental do meio urbano:  realizamos um evento onde quase a totalidade dos resíduos sólidos gerados no mesmo, entrou na cadeia da reciclagem. Para que isso ocorresse, escolhemos parceiros que tem como preocupação a preservação do meio ambiente.

 
Podemos citar a AMAZOO, açaí que foi distribuído para os competidores e público participante em embalagem ecológica e em eco-copos. E os shapes da marca CUSH que foram distribuídos na premiação, que utilizam em sua fabricação, madeira certificada e resina ecológica, além de todo um processo de gestão de resíduos em sua fabricação.  As camisetas do evento, também foram produzidas com algodão orgânico pela marca Eszy.  E os tênis (calçados) distribuídos na premiação,  pela Marca MAD BULL são embalados em papel reciclado.

O skate como opção de transporte sustentável em cidades pequenas e grandes: durante os três dias de evento, o skate transitou pela pacata cidade de Águas de São Pedro, sem gerar qualquer impacto ambiental e sim, gerando saúde e prazer aos seus praticantes.

O skate como arte, como reciclagem de matérias, como meio de transformação: A arte pode ser vista nos Toe Stops. brindes distribuídos aos competidores pela Hard World Environmental. O material para a fabricação dos Toe Stops (MDF), foram na verdade rodapés de residências atacados por cupins, que foram captados, tratados e transformados.

O skate como meio de integração e sociabilização:  o envolvimento e participação de um público que transitou por diversas faixas etárias, dos 2 anos de idade até os 83 anos, confirma que a prática do skate é um esporte que sendo bem direcionado, não tem fronteiras. Tivemos praticantes do esporte presentes no evento, com idade de 68 anos (Claudinho Tracker) e entre o público, espectadores com idade superior.

O Slalom, modalidade inicial do skate, pode ser definido como uma corrida técnica realizada através de obstáculos (cones), ganhando quem chegar primeiro na marca final do percurso.
A capacidade de interação entre o skate e o meio ambiente pode ser vista na atmosfera do local. Tranqüilidade e paz regadas com um pouco de adrenalina, fizeram dos três dias de evento, um ótimo entretenimento para o turismo da cidade. Pais com seus filhos passeando pela área de competição, interagindo com os competidores numa atmosfera cheia de energia positiva.

A presença do Recordista Mundial de Slalom, o sueco Mikael Hadestrand e dos também suecos Pelle Plast e sua esposa Therese, abrilhantaram o evento e deixaram saudades na população da cidade que interagiu muito com os atletas.

Os “pegas” acirrados, mostraram a plasticidade da modalidade slalom e dentre elas, podemos destacar os brasileiros Tiago Gardenal, Bruno Silva e André Fuchs como os atletas que levaram o Brasil a promissoras posições no ranking mundial.
 

Agradecemos a SECTUR e equipe, prefeito de Águas de São Pedro – Paulo Ronan, secretaria de Saúde de Águas de São Pedro disponibilizando ambulância para todos os dias do evento, as estadias: Pousada Mineira Noronha, Termas Water Park, Pousada Nossa Senhora Aparecida, Hotel Santo Antonio, Pousada Estrela da Manhã. Os chalés Cheiro da Terra Stravagança e Ofício Arte bambu. O responsável pela manufatura de nossas rampas Paulo Falcato e a equipe de som Kansom Sonorização. E não menos importante todos os voluntários que ajudaram na organização do evento como: os escoteiros e staffs.
 

Que Venha 2016 !!!

 

7 de fev de 2015

Evento de Skate interagirá com as questões sócio ambientais e necessidades de mobilidade urbana.

 
Evento de Skate  interagirá  com as questões sócio ambientais e necessidades do pais. O Skateboard Slalom Conscience  promoverá reflexão sobre o assunto, levando o publico participante e expectador a refletir sobre as questões ambientais, e os temas atuais de crise hídrica e energética no País.
Registrado como o nome de Skateboard Slalom Conscience , evento (Main), no Calendário de eventos que contaram pontos para o Ranking Mundial da ISSA ( International Skateboard Slalom Association) em 2015. A etapa brasileira promete ser a mais importante dentre as que serão disputadas na América Latina e América do Sul. Um evento que remeterá o publico e seus participantes a uma reflexão sobre as possibilidades  que o skate tem como esporte...
O Skate inserido no contexto ambiental do meio físico urbano.
O Skate como opção de transporte  sustentável em cidades pequenas e grandes.
O Skate como arte, como reciclagem de matérias, como meio de transformação.
O Skate como meio de integração e sociabilização.
Para linkar toda esta capacidade de interação entre o skate e o meio ambiente, os organizadores do evento trouxeram a modalidade do skate Slalom e a sua validação Internacional. Ou seja, as provas do evento contaram pontos para o ranking da ISSA (Internacional Slalom Skateboarding Association).
O Slalom modalidade primaria do skate pode ser definido como uma corrida técnica realizada através de obstáculos (cones) que ganha quem chegar primeiro a linha final do percurso.
Modalidade de fácil compreensão e grande interatividade com o publico. Já é tradicional a sua realização em grandes centros urbanos dentro de parques, ou em ruas  o que nos leva a crer que a promoção  do evento na cidade de Águas de São Pedro, será uma oportunidade impar para o alavancamento  do esporte e por consequência as questões comerciais e turística da cidade buscando uma sensibilidade no público espectador a um melhor das necessidades  de meio ambiente e mobilidade urbana inseridas dentro do evento através de ações e um work shop com participação do publico presente.
A presença do Recordista Mundial de Slalom, o sueco Mikael Hadestrand, já esta confirmada, bem como os 16 melhores atletas do Brasil já pré inscritos pelo ranking da entidade.
Os Promotores Aguardam um bom publico na cidade durante o evento. Para isso estão preparando ações interativas para os turistas que estarão na cidade, não só por causa do evento mas também pelo fato do final de semana ser o feriado Nacional do dia do trabalho.
 
fonte: ISSA
http://www.slalomskateboarder.com/slalomranking/mvc.php?action=event.details&id=839

13 de nov de 2014

XVI FIMAI- Feira do Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade


 
XVI FIMAI- Feira do Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade
 
Considerada como a mais importante feira do setor de Meio Ambiente Industrial na América Latina, a FIMAI apresenta-se como excelente opção para mostrar o que há de melhor e mais avançado em nível mundial, sendo um grande atrativo para investidores e empresários nacionais e internacionais que desejam estreitar contatos com empresas do setor, fazer negócios e expandir sua rede de relacionamentos comerciais. Novas tendências, inovações tecnológicas, práticas ambientais bem sucedidas e proatividade no setor socioambiental é a marca registrada dos expositores da feira, transformando o evento em um centro gerador de experiências e de negócios importantes.
A cada ano, desde sua 1ª edição em 1999, a FIMAI e seus eventos paralelos reafirmam a proposta de perpetuar a "sustentabilidade" no setor industrial.

A Expansão do mercado de óleo e gás ampliou o debate sobre segurança ambiental levando para feira eventos paralelos onde Especialistas do Brasil e do exterior se reuniram  no 1ª Oil Spill Brazil - Conference and Exhibition na FIMAI - Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade, para apresentar aos empresários soluções para se adequar à nova realidade de exploração das reservas, visando a sustentabilidade do processo.
Grupos Empresariais e Governamentais de países como Alemanha, Holanda, França, China, Argentina vieram a FIMAI para apresentar projetos e firmar parcerias na busca de um desenvolvimento comum sustentável. A troca de experiência e a percepção das delegações dos países visitantes levaram ao comum entendimento que o Brasil é a Bola da Vez nas questões de desenvolvimento ambiental. Temos uma Cetesb ( Agência Regulatória e fiscalizadora do estado de São Paulo ) que pode ser considerada como uma das principais agencias de meio ambiente do mundo. A preocupação de nossas empresas e profissionais nos trouxeram excelência nas operações de gestão de riscos, conceituando um feedback para um melhor desenvolvimento de equipamentos, técnicas e metodologias a ponto de sermos referenciados como os melhores e os mais preparados para as operações de captação e extração de petróleo em aguas profundas.
Por falar em Água e aproveitando a deixa da seca no Estado de São Paulo, a FIMAI deste ano foi referência em lançamento e apresentação de estações de filtragem e tratamento de efluentes. Muitas empresas apresentaram seus produtos para o mercado, levando ao entendimento que a tendência é cada vez mais a preocupação com minimização dos gastos de recursos naturais.
A Gestão de Resíduos Também esteve presente nesta edição da Feira. A cada ano novas soluções e tecnologias são apresentadas, melhorando assim as operações com resíduos, sólidos, inertes e de metais.
Destaque também para o stand do Grupo Pepec e Revista AMBIENTE LEGAL que sobre a Batuta do mestre e Doutor Antonio Fernando Pinheiro Pedro, realizaram entrevistas e explanações que orientaram os visitantes da feira sobre a legalidade do meio ambiente.
Com certeza posso afirmar que cada ano que passa a FIMAI fica melhor, como isto o mercado cresce, se profissionaliza e amadurece. Fico Feliz por entender que apesar da economia, a política, a gestão pública, a cultura e a segurança não estarem ajustadas ao vento e popa, as questões e o setor do meio ambiente está consolidado enraizado como um Jatoba Rei...

Por: Rogério Nogueira “Sammy”

30 de out de 2014

CARTAS E TEXTOS , A AUTO ANALISE DE UM BRASIL PRECONCEITUOSO... RACHADO ENTRA A DIREITA E A ESQUERDA

CARTAS E TEXTOS , A AUTO ANALISE DE UM BRASIL PRECONCEITUOSO... RACHADO ENTRA A DIREITA E A ESQUERDA
 
 
Sobre a criação de um MURO que separe o Norte-Nordeste do resto do Brasil: nós o aceitamos, porém com as seguintes condições:

1 - Dê adeus a aquele açaí gostoso que você toma todo dia na academia, ok? Castanha de caju e a castanha do Brasil (Pará). E volte ao pão integral, pois tapioca não terás mais.

2 - Seus filhos não irão poder ler Jorge Amado, Ariano Suassuna, Graciliano Ramos, Aluisio de Azevedo, Castro Alves, José de Alencar, João Ubaldo Ribero, entre outros.

3 - Vamos ter que engolir Collor, Sarney, Lobão e Renan. Você terá que aguentar seus jovens talentos: Bolsonaros, Garotinhos, Feliciano e Russomano. Além do João Campos (autor da cura gay), Malafaia e Edir Macedo.

4 - Não vale mais viajar para Porto de Galinhas, Praia do Forte, Passarela do Caranguejo (Aracaju), Itacaré e Jericoacoara. Muito menos réveillon em Trancoso e jamais, em hipótese alguma, carnaval em Salvador e Recife. Aliás, todas as memórias de carnavais passados neste locais terão que ser apagadas da sua mente.

5 - Seu carro flex, vai ser só a gasolina, pois não vamos dar a cana-de-açúcar que plantamos e produzimos. E tem mais, a tecnologia do auto-serviços (hipermercados), criado pelo Itabaianenese, Estado de Sergipe, Mamede Paes Mendonça. Devolvam a nossa tecnologia e fiquem agora com os hiper botecos.

6 - O samba fica com a gente pois foi criado na Bahia. Vamos ter que brigar pela Bossa-Nova, pois surgiu no RJ, mas das mão de um baiano, João Gilberto. Também ficamos com o movimento Tropicalista e seus principais mentores: Caetano, Gil, Torquato e Tom Zé. Sua vida musical vai ficar mais triste pois não abrimos mão de ficar com o frevo, axé, maracatu, afoxé, forró (Luiz Gonzaga) e tantos outros ritmos.

7 - Ficamos com o maior complexo industrial integrado do hemisfério sul, o Polo Petroquímico de Camaçari que conta com 90 empresas químicas, além da fábrica da Ford. E lembre-se que o maior polo tecnológico, o Porto Digital, está em Recife e o polo têxtil está em Fortaleza.

8 - Podem ficar com Elis Regina. Nós ficamos com Gal, Bethânia, Elba, Alcione, Fafá, Daniela e Ivete.

9 - Não abrimos mão da maior empresa de construção do país, a Odebrechet, que também é a maior exportadora de serviços brasileiros e uma das maiores construtoras de hidroelétricas do mundo.

10 - Quando o volume morto da Cantareira acabar, não vale pedir água emprestada da bacia do Amazonas ou do são Francisco (que já anda muito castigado).

11 - Parte da exportação fica com a gente, principalmente a de frutas, algodão, soja, cacau, feijão, guaraná e milho. 95% do sal também fica conosco já que é produzido no Rio Grande do Norte.

12 - Não vamos ser a 6a economia mundial, nem vocês, pois serão ultrapassados por Itália, Rússia e Índia. Nosso PIB será maior do que o do Chile, Portugal, Israel, Grécia, Finlândia e Singapura, para citar alguns exemplos.

13 - E o mais importante de tudo: DEVOLVA NOSSA GENTE. Queremos de volta todos os nordestinos (e seus descendentes) que saíram de nossas terras desde a década de 40 e ajudaram a construir suas cidades. São Paulo e Rio são grandes metrópoles hoje, graças a migração nordestina, e se todos um dia voltarem, essas cidades irão parar e a economia quebrar. Além de empregadas domésticas e motoristas de ônibus, vai faltar professores, médicos, engenheiros e administradores.

Caramba........! Eu preciso muito de vocês!

Ainda quer construir esse muro?

Sou Nordestino com orgulho.
 
 
"Em meio a enxurrada de emoções que muitas pessoas lançaram hoje por aí, há alguns comentários que realmente nos fazem pensar.
Me fez pensar bastante, a frase de uma senhora moradora de um bairro bacana de SP, hoje pela manhã ela expressou seu "pânico" ao dizer que os resultados da eleição devem levar ao "absurdo" de sua empregada doméstica querer receber R$ 1400,00 por mês... "onde já se viu?", disse ela. Não parando por aí ela seguiu contando que seu outro funcionário (semi analfabeto) "já mandou o filho para Disney!!". "Ora que absurdo! Desse jeito onde vamos parar?"
Fato é que o país JÁ mudou, o IBGE mostra em números que o tamanho da população em estado de miséria diminuiu, da mesma forma a pobreza foi drasticamente reduzida e 10 vezes mais brasileiros estão cursando a universidade em comparação a 2002 (dados do IBGE), isso tudo leva sem dúvida a um novo desenho social que precisa de mais 30 anos para se consolidar em verdadeiras transformações. Essa mudança jamais foi promovida anteriormente, jamais.
Esse FATO faz com que parte da população entre em pânico! Afinal, será que essa transformação era realmente desejável? O Brasil de fato quer ser uma sociedade mais igualitária?
A classe média precisa decidir se vive com menos empregados e com padrões de vida mais simples. A "crise" é da classe média, média alta... etc... qualquer nome que se dê a esse segmento que não é a elite, mas sempre pensou ser.
A crise é desse segmento da população de classe média que se percebe cada vez mais perto da necessidade de rever costumes, hábitos mesquinhos exercitados por gerações de pequenas e insignificantes riquezas. Povo que sempre comeu mortadela e arrotou peru.
A "crise" é dessa galera que não percebeu que somos TODOS pobres, andamos sobre esgotos, que não gerenciamos nosso lixo, usamos carros próprios para tudo, não temos trens,não temos hospitais, nossas cidades são feias e desumanas.
"Nóis é pobre pra caramba mano."
Lembrem de seus passeios pela Europa e América (parcelados com Visa)... comparem... tá na cara que o legal é um lugar onde todos tem um pouco mais, onde todos moram bem, onde as crianças estudam TODAS juntas em escolas públicas, onde existem ciclovias para todos os lados, esse é o lugar rico.
Feliz e rico é o sujeito que tem seus filhos estudando em escolas públicas, que anda em transporte público, que tem coleta seletiva e que morre com dignidade num hospital do governo!
Somos pobres pois andamos de carros blindados nas grandes cidades com (muito) medo de crianças nas ruas. Somos pobres demais pois nossos Shoppings cheio de lojas de luxo tem como vizinhos favelas e rios imundos.
O Brasil busca sim mais horizontalidade, e isso é desesperador para os que foram acostumados aos pequenos luxos, aos pequenos mandos, aos consumos miúdos e superficiais de um país pobre.
Devemos sim, cobrar e muito esta senhora que se reelegeu. Ela nos deve mais empenho, mais saúde pública, mais educação, uma reforma política, sustentabilidade, ética com recursos públicos, etc... ela e os demais políticos deste país nos DEVEM respeito e dedicação, palavras ainda distantes desta classe. É preciso melhorar muito, mas o caminho é o da redução das desigualdades e esse caminho começou.
O chilique da classe média (média "alta") vai passar, afinal não há outro jeito a não ser perceber a realidade.
Aquela ideia de que "pagar impostos e gerar empregos é meu papel", já era, isso é coisa implantada pelos nossos vovôs que também achavam que eram ricos, gerar empregos é o mínimo para quem quer ganhar dinheiro.
É hora de se dedicar um pouco para os trabalhos voluntários, de participar das organizações da sociedade civil, dos fóruns de acompanhamento das políticas públicas, de se tornar cidadão de verdade, de cobrar TRABALHO desse monte de sujeitos que enche nosso congresso. De se manifestar em todas as esferas da sociedade. Se você já faz isso ok, senão, pode começar.
É preciso querer de fato uma sociedade mais igual, é preciso de fato se aproximar dos controles sociais e políticos, é preciso de fato abrir mão dos hábitos dos pequenos luxos, dedicar-se mais a MUDANÇA.
Menos miseráveis, menos pobres, mais distribuição de serviços e riquezas, este é o único caminho e para isso precisamos realmente participar e monitorar.
Dedico este texto aos meus muitos amigos nascidos na classe média, que cresceram pensando que os pobres moravam do outro lado da rua, as pessoas que, como eu, cresceram pensando fazer parte de um segmento confortável da população.
"Nóis é pobre mano", se você tem dúvida roda um pouco por aí, de janela aberta..."
(Daniel Cywinski)
 
Post kibado sem vergonha alguma do Alessandro Augusto Arruda Basso, que kibou de Carolina Baghin que, por sua vez, kibou de Lucas Dall'Aqua Di Fonzo.
"Para você que está mudando a foto com a imagem da bandeira do Brasil escrito LUTO, deixa eu contar uma coisa:
Do ano de 1964 até 1985 o Brasil viveu sob regime militar, incluindo tortura e censura total, pessoas morriam, eram exiladas e eram mantidas sobre constante pressão e ameaças. Nesse período as pessoas não podiam express...ar sua opinião e nem esperar por mudanças, não existia esquerda, não existia direita, exista o regime militar. Não se podia ser comunista ou esperar por melhorias sociais, pessoas eram educadas para serem fantoches do Estado, essa obrigação civil de ir às urnas? Não existia....
Quer saber o que existia? Existiam vítimas, 3 MIL PESSOAS MORRERAM, e outras foram BRUTALMENTE MUTILADAS, pra que esse MALDITO DIA QUE ACONTECEU HOJE pudesse existir. Agora você, sentado atrás de um monitor, se acha no direito de entrar em LUTO, pelo fato de a maioria do seu país ter chego a um consenso através de um direito constitucional e legitimado pelo órgão supremo de seu ESTADO? Tudo bem, talvez o seu candidato não tenha chegado ao poder como esperado, mas você realmente pensa que o que está passando é LUTO? Você tem o direito de se expressar, tem o direito de vomitar em seu teclado o que quiser, mas não deveria falar que está em luto. Sabe quem tem o direito de estar em LUTO? Pais, mães, filhos, e amigos das pessoas que em 1964 sumiram e até hoje não se sabe onde estão, pessoas que não tiveram a oportunidade de chorar sobre o corpo de um amigo. A ignorância é totalmente aceitável, o que não é aceitável é ver pessoas querendo desmembrar seu Estado de um país, fazendo parte de algo maior, que se chama nação. Ainda preciso ler pessoas reclamando do nordeste pela Dilma ter sido maioria? Hoje assim como a cada quatro anos o país viveu um processo democrático, e você não tem o direito de ficar em luto. Pois essa eleição é um direito conquistado sobre o sangue de inocentes, sobre a lagrima de torturados e sobre a saudade de pessoas que nunca mais verão o pai, a mãe, e o filho... Fica somente o sentimento de vergonha, e quer uma dica, troca a foto, ainda dá tempo de você se sentir menos egoísta e hipócrita....
PS: Na foto você tem o Vladimir Herzog, que foi tido como prisioneiro, e que supostamente cometeu suicídio, mas que todos sabem que foi ASSASSINADO, quer ficar em luto, fica por ele, pois graças à pessoas como ele, você pode votar hoje..."

kIBADO pOR Felipe Corteline
 

Texto: Gregory Zancanaro Carniel
Tentei ficar quieto, mas não me aguentei.
Sou de uma família tradicional e de classe média alta brasileira, e fui o único a votar na Dilma.
Nos últimos anos tive o privilégio de morar por 2 anos em Estocolmo, trabalhando e estudando. E digo o que pouca gente imagina: na maior parte da Suécia não existe luxo.
Eu morei num prédio onde moravam médicos, lixeiros, músicos, advogados, e atendentes de super mercado. Juntos. Eu vi pessoas muito ricas andando de bicicleta no inverno, e aproveitando a vida comendo sanduíche sentado no chão de um parque (não num shopping). Donos de agências que atendem Pepsi, NBA, RedBull almoçando comida feita em casa num tupperware sentados na mesma mesa que eu que era imigrante e o Estagiário Assistente de Escritório.
Eu vi meninas como essas da foto andando sozinhas às 3h da manhã em áreas vazias, olhando o mapa no iphone usando shortinho meia bunda e regatinha que mostra o lado do peito ouvindo a música nova da Lykke Li no último volume e cantando. E passaram do meu lado na mesma calçada sem nem atravessar a rua. Sem medo.
Sem.
Medo.
Tudo isso, que nós brasileiros invejamos tanto e dizemos que ‘lá fora é muito melhor’ só se consegue com uma coisa: igualdade social.
A Suécia não chega a ter 10 milhões de pessoas, e a igualdade lá vem sendo praticada desde o início.
O Brasil tem 200 milhões e a desigualdade aqui vem sendo praticada desde o primeiro instante. O que isso implica?
Implica que se você, pessoa que gosta tanto da Europa, quer que o Brasil fique um pouco mais parecido com lá, abraçar a causa da igualdade social é uma necessidade. E ela pode acontecer de duas formas: rápido ou devagar.
Rápido está fora de questão, mas devagar é sim possível. Eu pergunto: Qual é o problema se o país precisa crescer 1% ao invés de 6% para que o Brasil saia do mapa mundial da fome? Ou para que o analfabetismo acabe? Ou o saneamento básico?
Você se preocupa mais com o quanto cai na sua conta do que com quantas pessoas conseguem comer, escrever o próprio nome ou defecar em um lugar decente?
Crescimento de economia é uma coisa, é cálculo do PIB que soma em valores monetários todos os bens e serviços finais produzidos no País.
Já o IDH mede expectativa de vida, analfabetismo, educação, padrão e qualidade de vida e entre outras coisas também o PIB per Capita.
‘O país tem que voltar a crescer’, foi slogan de uns e é opinião de todos, mas o que é ‘crescer’?
Crescer é PIB para poucos como sempre foi no Brasil?
Ou crescer é IDH, com PIB mais distribuído para todos?
O Brasil não tem meios de gerar mais dinheiro do que o que já circula dentro dele (seria lastro para controle) ou seja, a riqueza que existe dentro do Brasil precisa sim ser melhor distribuída para que você possa ter aqui, aonde suas netas e netos irão nascer, uma qualidade de vida mais parecida com a da Europa. Sem medo.
Sem.
Medo.
Mas como dinheiro não cresce em árvore, pra que isso aconteça, tem que mexer no que é teu.
Só que quando alguém fala em mexer no que é teu, ninguém mais quer igualdade social, e todo esse papo vai por água a baixo. Certo?
Certo.
Amigo, a verdade é: egoísmo não combina com igualdade social. Ninguém gosta de dividir as duas últimas preciosas bolachas favoritas.
Se você quer ser egoísta, ao menos seja sincero e diga que está pouco se fodendo para os humanos aqui do Brasil do sul ou do norte que torcem junto contigo pro Neymar Jr. na Copa do Mundo. Que tanto faz se eles sabem ler, escrever ou tem o que pôr na barriga. Então faça sua trouxinha de dólares e ajude a sustentar alguma ONG que ajuda algum 'vagabundo' na África. Não vou te julgar ou tentar te convencer. Mas é isso o que penso.
 
FONTE ; textos kibados do facebook...