31 de mar de 2010

Investimento de R$ 46 milhões viabilizará moderno centro de pesquisas no IPT

Prédio de bionanotecnologia
Investimento de R$ 46 milhões viabilizará moderno centro de pesquisas no IP
São Paulo terá até o fim de 2010 o mais moderno centro de pesquisas em bionanotecnologia do Brasil. Com investimento de R$ 46 milhões, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) terá um prédio de oito mil metros quadrados para estudo de biotecnologia (desenvolvimento com organismos vivos), tecnologia de partículas (microencapsulação de componentes químicos e terapia medicinal, como em cosméticos), micromanufatura de equipamentos e metrologia.

Perpectiva do novo empreeendimento: projeto estratégico para o governo do Estado
A bionanotecnologia é a área de pesquisa para descoberta e produção de materiais milhares de vezes menores que a espessura de um fio de cabelo. Tradicionalmente, uma partícula recebe o prefixo "nano" caso tenha diâmetro de entre um e 100 nanômetros, ou cerca de 0,01% do diâmetro de um fio de cabelo. Atualmente, cerca de 600 produtos que contêm nanomateriais estão no mercado em todo o mundo.

A nova edificação, que faz parte do projeto de modernização do IPT e que está em execução ao lado do prédio 36, terá custo de R$ 21 milhões. Outros R$ 25 milhões estão previstos para o projeto Moderniza no próximo ano. Esses recursos são oriundos do governo do Estado de São Paulo – o IPT é ligado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento de São Paulo. Estão previstos 12 meses para a construção. A estrutura da cobertura deve ser montada até abril do próximo ano.

Andar por andar - O projeto arquitetônico da nova unidade foi criado a partir de duas premissas: que a obra fosse a mais racional possível e que levasse em consideração a sensibilidade dos laboratórios a serem instalados no edifício - em relação ao conforto térmico, vibrações e instalações especiais.
Os arquitetos projetaram, por exemplo, a fachada envidraçada voltada para o sul para que a alta incidência de energia solar não atrapalhe o conforto térmico dos laboratórios.
O prédio vai abrigar no pavimento térreo o setor de micromanufatura porque os equipamentos não podem receber vibrações. O térreo ainda terá uma sala limpa com nível 100, uma das categorias mais elevadas em termos de limpeza. Essa sala terá filtros especiais para evitar a entrada de partículas e vai trabalhar com pressão positiva – a pressão dentro da sala é maior do que a de fora.
No primeiro andar ficará o laboratório de biotecnologia, com dois mil metros quadrados. No segundo andar será instalado o laboratório de tecnologia de partículas. Lateralmente, o prédio vai ter uma área de infra-estrutura técnica para abrigar caldeira, central de refrigeração, entre outros equipamentos, servindo água, gás, energia e internet. Os equipamentos que alimentam os laboratórios também estarão nessa área.
As tubulações serão distribuídas por meio de forro técnico e vão descer por colunas envelopadas. O prédio terá também uma área de administração, com sala de gerenciamento e uma central de estações de trabalho para maior integração dos pesquisadores de diferentes áreas. Terá ainda um anfiteatro para 200 pessoas, uma área destinada aos encontros de pesquisadores para discutir projetos convergentes em nanotecnologia.

Fonte IPT.br

24 de mar de 2010

Dia 27 /03 entre na onda do apagão...Hora do planeta ou Earth Hour

Sobre a Hora do Planeta


A Hora do Planeta, conhecida globalmente como Earth Hour, é uma iniciativa global da Rede WWF para enfrentar as mudanças climáticas. No sábado, dia 27 de março de 2010, às 20h30, pessoas, empresas, comunidades e governo são convidados a apagar suas luzes pelo período de uma hora para mostrar seu apoio ao combate ao aquecimento global. Na primeira edição, realizada em 2007 na Austrália, 2 milhões de pessoas desligaram suas luzes. Em 2008, mais de 50 milhões de pessoas de todas as partes do mundo aderiram à ação. Em 2009, quando o WWF-Brasil realizou pela primeira vez a Hora do Planeta no Brasil, quase 1 bilhão de pessoas em todo o mundo apagaram suas luzes.

Sobre o WWF-Brasil

O WWF-Brasil é uma organização não governamental brasileira dedicada à conservação da natureza com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. O WWF-Brasil, criado em 1996 e sediado em Brasília, desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.

Assita o video http://www.hardcontrol.net/green_wave_19.html


Texto :Fonte \fundação o Boticário

20 de mar de 2010

REboard exposição da skate arte Brasileira invade Los Angeles na proxima semana!!!


A arte brasileira vai a Los Angeles - de skate

No dia 27 de março, a Exhibit A Gallery, espaço cultural do lendário Tony Alva, receberá a exposição RE:board, que reúne alguns dos mais históricos models de shape do Brasil.

A mostra conta, também, com a exibição do vídeo homônimo, realizado por Alexandre Sesper, com depoimentos de fabricantes, skatistas profissionais e artistas plásticos, hoje consagrados, que iniciaram suas carreiras tendo por suporte os decks de madeira.

Entre os exemplares garimpados por Sesper, estão os três primeiros models de shape do Brasil, que marcaram o início da profissionalização do esporte no país, em 1985: os shapes de Álvaro Por Quê?, George Rotatori e Jorge Kuge, lançados pela Urgh, com arte de Billy Argel. O artista assina, também, o model mais vendido da história do país, do skatista hoje radicado na Califórnia e campeão brasileiro de street, Antônio dos Passos Junior, mais conhecido como Thronn.
Estarão presentes no vernissage, o autor do documentário, Alexandre Sesper, a curadora da exposição, Ana Paula Negrão e Jorge Kuge, proprietário da Urgh, além de vários nomes consagrados do skate.


A exposição permanece em cartaz até o dia 7 de abril, das 19h00 às 20h00 e o endereço da Exhibit A Gallery é 1086 South Fairfax Ave., em Los Angeles, Califórnia.

8 de mar de 2010

São Paulo e sua demografia constituida por 11 milhões de habitantes.

Histórico Demográfico do Município de São Paulo


Aproveitando a onda verde, colocamos vocês agora em contato com um pouco dos dados históricos da cidade de São Paulo. Através do Histórico Demografico é possivel acompanhar e entender a evolução da cidade nos ultimos cem anos.
Interagindo com a sitação do texto de Spink " A Comunidade Inteligente ; visitando as experiências de gestão e local" onde a gestão publica pode  continuar sendo arcaica porem se adaptando  muito bem a internet e ao celular.

Vale a pena navegar por este conteudo que a prefeitura esta disponibilizando em seu site.



São oferecidas três opções de consulta ao site. Clicando-se em tabelas, abre-se o acesso aos dados sobre a população paulistana, coletados em cada um dos 11 censos já produzidos. Taxas de crescimento, composição etária e divisão por gênero, além de uma visão da população do município de São Paulo inserida nos contextos metropolitanos, estadual e nacional, são algumas das possibilidades de consulta oferecidas. Informações referentes às diversas porções do município estão presentes nos dados sobre seus 96 distritos, incluindo o recurso às retroprojeções, que permitem comparar dados distritais de 1991 e 2000 com aqueles coletados entre 1950 e 1980, antes, portanto, da criação da atual divisão territorial do município.


fonte: Prefeitura Municipal de São Paulo





7 de mar de 2010

Conhecendo a cidade de São Paulo através do Atlas Ambiental.

Conhecendo a cidade de São Paulo através do atlas ambiental.








http://atlasambiental.prefeitura.sp.gov.br/index.php

Navegando pelo site da Prefeitura da Cidade de São Paulo encontramos links para as secretarias do município , clicando na secretaria do verde e do meio ambiente podemos encontrar um caminho (link) para o interessante atlas ambiental do município de São Paulo .

Ao carregar a pagina poderemos visualizar alguns temas importantes sobre a cidade. Dados digitalizados em textos e gráficos atraíram você para navegar em informações não tão comuns e de interesse populacional.

Dos fatores históricos a dados demográficos e geológicos podemos notar e entender um pouco mais sobre o meio físico de nossa cidade. Sim o meio físico!

Navegando pelos templates hospedados na área do meio físico, podemos conhecer um pouco da geologia e das formações de solo que constituem a nossa grande metrópole. Mapas coloridos e muito bem ilustrados nos remetem aos princípios da cartografia.

Orientando-se pelo norte da cidade e pelas legendas na parte direita dos mapas ,podemos ler e tirar nossas conclusões sobre a geologia,o relevo a declividade e até uma base geopolítica administrativa de nossa cidade.

Percebemos então que é necessário o conhecimento destas informações, já que como cidadãos habitantes ,nascidos ,migrados ou apenas de passagem por este colosso de território ,fazemos parte das mudanças ou mutações ordenadas pelo homem e sofridas pelas temperes do clima ambiente deste grande organismo metropolitano nomeado de SÃO PAULO.