30 de mai de 2011

A VERDURADA DE JUNHO VEM AI...



VERDURADA DE JUNHO
05/06/2011

O inverno está chegando e com ele vem a segunda Verdurada do ano, com
a promessa de unir como nunca os pioneiros do hardcore brasileiro à jovem
guarda da cena.
Representando a ala dos veteranos, temos a honra de apresentar a
dobradinha oitentista Cólera e Periferia S.A., relançando o clássico split
LP "Cólera x Ratos de Porão Ao Vivo", num verdadeiro remake do show de
1985 que deu origem ao disco.
A ala jovem, por sua vez, contará com os baluartes do hardcore old school
paulistano, Positive Youth e duas das mais bandas comentadas dos tempos
recentes, Ralph Macchio e Pushmongos.
A palestra/debate também terá um tema que não poderia ser mais atual:
o ativista e engenheiro Lúcio Gregori, 74, vai nos falar um pouco sobre as
recentes mobilizações acontecidas em São Paulo contra o aumento abusivo
das passagens de ônibus.

Quando?

Domingo – 05/06/2011 – das 16h às 22h

Onde?
Rua Nestor Pestana 189, Centro
A uma quadra da Praça Roosevelt – entre Rua Augusta e Consolação – 5
minutos a pé dos metrôs República e Anhangabaú.

Quanto? R$10

- Jantar VEGetariANO grátis e venda de material independente.

- Por favor, sem cigarros e sem álcool.

Contatos com a imprensa: Favor mandar um e-mail para André Mesquita:
xdedex@hotmail.com.

SOBRE OS INGRESSOS

São Paulo (Capital):
Os ingressos estão à venda nos seguintes locais:

Vegan Pride: Rua 24 de Maio, 62 - Loja 446 (Galeria do Rock).
The Records – Rua Barão de Itapetininga, 37, loja 43 - rua alta (Galeria
Nova Barão).

Outras Cidades e Estados:

Envie um e-mail para verdurada@riseup.net (não faça pedidos através do
site da Verdurada, Orkut ou MySpace), informando nome completo, RG,
cidade/estado. A retirada do ingresso será no dia do show. Os ingressos não
retirados serão vendidos na portaria.

BANQUINHAS

Devido ao fato da Verdurada ter um público em número crescente, somente
os selos, coletivos ou pessoas que recebem o e-mail convite diretamente
do Coletivo Verdurada podem montar banquinhas no evento. Se você
tem interesse em divulgar material faça-você-mesmo mande um e-mail:
verdurada@riseup.net

Lembrando que as bandas que tocam no dia têm seu espaço para banquinha
garantido.

O QUE MAIS?

1- Por favor, sem álcool, drogas ou cigarro dentro do local do evento.

2- Nada de alimentos que contenham produtos de origem animal.

3- Banquinhas de livros, cds, fanzines e material independente e divergente
a preços populares, mesmo!

4- Venda de comida vegetariana, desde hambúrgueres, coxinhas, kibes, até
bolos, tortas, bombons.

5- Os shows acabarão antes das onze e meia da noite, para que os
espectadores possam se valer do sistema público de transporte.

6- Todo o dinheiro arrecadado com os ingressos será utilizado para pagar
as despesas com o evento (transporte das bandas, locação do espaço,
divulgação, locação da aparelhagem de som e luz).

7- Uma parte do dinheiro dos ingressos será utilizada em campanhas
públicas de assuntos ligados aos interesses do Coletivo Verdurada, como
vegetarianismo ético, práticas de democracia direta, questões políticas e
sociais.

29 de mai de 2011

Festival Alma Surf mostra novos conceitos do setor...



8ª edição do FestivAlma Surf, que acontece entre os próximos dias 26 e 28 de maio, no pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, em São Paulo, foi preparada com muitas atrações e novidades.

Os visitantes terão a oportunidade de conferir de perto, além de muita música, cinema e arte, as





novidades da moda surf e acessórios atrelados ao conceito sustentável no IV Salão Internacional do Surf, que este ano reúne 15 marcas.

Em sua quarta edição, o Salão Internacional do Surf reúne 15 marcas – Billabong, VonZipper, Nixon, Element, South to South, Fox, HB, Long Island, Mormaii, Evoke, Lightning Bolt, Bintang, e Rider.


O IV Salão Internacional do Surf crua nesta edição uma cumplicidade inquebrável com a estética e o design, binômio que tem catapultado números e demandas que existem no Brasil, de 30 milhões de consumidores, que perfazem um PIB de R$ 9 bilhões por ano, distribuídos pelos 3 milhões de adeptos só no Brasil.

O Salão é a proposta de uma nova visão do mercado surf na plataforma de expressão e atuação de estilo, na busca de elevar os padrões. O segmento surf e praia vive a quarta década de construção de mercado que se criou em cima de um grupo de surfistas que acreditou que fosse possível viver de outra maneira na praia.

As marca convidadas formam um grupo holístico que optou pelo “forever Young” como hippies contemporâneos. Com isso, surgem novas expressões e ícones que alimentam e inspiram esse número crescente de pessoas que querem viver como os surfistas, na praia e no mar.

Para obter mais informações, acesse o site oficial do FestivAlma Surf 2011

25 de mai de 2011

IPAD´S com imposto reduzido...


A presidente Dilma Rousseff assinou na sexta-feira (20) a medida provisória 534, que equipara os tablets aos computadores para fins de tributação. A MP, publicada nesta segunda-feira no "Diário Oficial da União", era uma exigência de grandes multinacionais, como a taiwanesa Foxconn, para começar a produzir tablets no Brasil.
Com isso, os tablets passam a ser enquadrados na lei 11.196/95, a chamada "Lei do Bem", e ficam isentos de recolher PIS e Cofins e têm reduzida em 80% a alíquota de IPI.
Até agora, a Receita Federal hesitava em enquadrar os tablets como PCs sob a justificativa de que não tinham teclado físico --na verdade, era uma desculpa, pelo fato de os equipamentos serem importados e a indústria nacional pressionar com medo de queda nas vendas.
Pela nova regra, os tablets, definidos na MP como ''máquinas automáticas de processamento de dados, portáteis, sem teclado, que tenham uma unidade central de processamento com entrada e saída de dados por meio de uma tela sensível ao toque de área superior a 142 cm²".
EMPRESAS
Já há 12 empresas cadastradas no Ministério de Ciência e Tecnologia para produzir tablets no Brasil. Agora, o governo deve editar as regras do Processo Produtivo Básico dos tablets. O anteprojeto ficou aberto até a última sexta-feira para sugestões e deve ser publicado em breve.
O PPB vai definir os percentuais de componentes com produção local para que as empresas possam se beneficiar de incentivos fiscais. A ideia é que seja proposta uma redução gradativa de importação e sua substituição por componentes nacionais, segundo disse à Folha nesta segunda-feira o ministro Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia).
Com as medidas, o governo Dilma se mostra disposto a acelerar o cumprimento das exigências que a Foxconn impôs para viabilizar um investimento de US$ 12 bilhões no Brasil.
Steve Jobs  e mais uma de suas criações
O primeiro passo será a produção local do iPad, o tablet da Apple, na planta que a empresa já tem em Jundiaí (SP). O prazo era novembro deste ano, mas a empresa tenta antecipar o início da montagem para julho.

fonte Jus Brasil

24 de mai de 2011

Ex-ministros integrantes de vários partidos se reúnem no MMA

Ex-ministros integrantes de vários partidos se reúnem no MMA. Eles vieram pedir ao Governo que preserve as conquistas da legislação ambiental brasileira na votação do novo Código Florestal.


Um encontro inédito em defesa da legislação ambiental reuniu, nesta segunda-feira (23/05), oito ex-ministros do Meio Ambiente, integrantes de vários partidos políticos, e a ministra Izabella Teixeira em Brasília. Foram 30 minutos de conversa franca sobre o futuro do código florestal. Amanhã deverão ser recebidos pela presidenta Dilma Rousseff, que tem reiterado seu posicionamento de campanha em favor do desenvolvimento com sustentabilidade.
O grupo, capitaneado por Paulo Nogueira Neto, que ocupou a pasta nas décadas de 1970 e 1980, quando ainda era Secretaria Especial, saiu satisfeito com o que ouviu de Izabella. "Estamos lidando com um assunto extremamente importante para o futuro do Brasil e até da humanidade", lembrou. Ele defendeu a manutenção dos avanços e disse que é preciso evitar que as alterações na lei tragam consequências que impliquem no retrocesso do que já foi conquistado ao longo dos últimos 40 anos.
Para Izabella Teixeira, o Governo vai "agir com firmeza" na defesa do Código Florestal. A negociação no Congresso, segundo disse, precisará garantir que não haverá anistia para desmatadores ou redução das áreas de preservação ambiental (APPs) ao longo dos rios e desfiguração das reservas legais. A ministra voltou a afirmar que a agricultura familiar e as peculiaridades regionais devem ser consideradas no novo texto.
"É clara a posição da presidenta Dilma. Ela não aceita anistia a desmatador. Ela não aceita desmatamento em áreas de preservação permanente. Tem que recuperar reserva legal e tem que ter manejo. Tem que entender a situação da agricultura familiar diferenciada, que no Sul e no Sudeste é diferente da Amazônia". Izabella salientou que o Governo manterá o prazo de 11 de junho, previsto no decreto que cria o Programa Mais Ambiente. "Entrarei no dia seguindo com o processo de regularização ambiental em campo", afirmou.
Segundo ela, a lei tem que assegurar a regularização ambiental para que o agricultor se sinta seguro. "A lei tem que ser objetiva. Temos que assegurar a proteção do meio ambiente", afirmou. Para ela, se isso não for garantido, o agricultor será o prejudicado, com sua terra comprometida por situações não sustentáveis que comprometam a oferta de água e os demais requisitos para a produção sustentável.
Ao final do encontro, o ex-ministro Carlos Minc classificou a conversa de "muito boa, muito animadora". Ele considerou que há, no mérito das questões, "muita identidade" entre o governo e as reivindicações do grupo. "Resolvemos ir para cima, com muita energia", salientou. Já a ex-ministra Marina Silva defendeu o adiamento da votação "em prol de uma política florestal".
Sobre o texto que está no Congresso, Izabella declarou que as negociações prosseguem, pois o texto requer ajustes. Para ela, isso pode ser negociado com o relator ou apresentado em plenário, o que será decidido com os parlamentares. A ministra não vê necessidade de adiamento nas votações e disse que ainda não viu o texto final. "Pode ter erros de redação ou situações que nós precisamos corrigir. Teremos que analisar", concluiu.

fonte site : MMA

11 de mai de 2011

Acordos atrasam a Votação do código Florestal


Negociações sobre o Código devem continuar ainda nesta semana.
Líderes do governo decidem adiar votação para continuar em busca de um acordo sobre todos os pontos do texto. Item de maior divergência é o da reserva legal em pequenas propriedades. Sessão do Plenário está marcada as 9 horas, mas texto só deverá estar pronto após o meio-dia.
Após um dia de discussões entre lideranças do governo e da oposição, a votação do novo Código Florestal (PL 1876/99 e outros) foi adiada para a manhã desta quarta-feira (11). Segundo o líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), o único ponto de divergência diz respeito à reserva legal nas propriedades de até quatro módulos fiscais.
Para o relator da proposta, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), todas essas propriedades devem ficar isentas da obrigação de manterem a reserva, e na noite desta terça-feira (10) ele disse que iria manter essa proposta no relatório. Já para o governo, a regra deve valer apenas para os agricultores familiares e para as cooperativas rurais.
Na opinião do líder do governo, a divergência não é fundamental. “Tudo que o governo considera essencial foi incluído no relatório. Não haverá mais anistia, serão mantidas as áreas de preservação permanente (APPs) e serão previstas punições rígidas para quem descumprir a lei”, disse Vaccarezza.
Quanto às APPs, as duas partes concordaram em manter as regras atuais, mas com uma alteração – nas margens de rios com até 10 metros de largura, poderão ser recompostos apenas 15 metros, e não 30, como prevê a lei atualmente (4.771/65). Esse era outro ponto de discórdia com o governo, que defendia a regra vigente.
Além disso, o relatório de Aldo Rebelo previa uma série de atividades que poderiam ser realizadas em APPs. A autorização para o desmatamento dessas áreas também seria transferida da União para os municípios. Para se chegar a um acordo, decidiu-se que serão listadas, na lei e por decreto, as atividades autorizadas nessas áreas de preservação.

Mesmo sem acordo, o relator afirmou que a matéria será votada nesta quarta. A sessão começa às 9 horas, mas Vaccarezza acredita que o texto estará pronto para votação a partir das 12 horas.
Negociações
As intensas negociações sobre o Código Florestal marcaram o dia na Câmara. Em meio a sucessivas reuniões, o relator Aldo Rebelo chegou a garantir que a proposta seria votada nesta terça-feira, mas a falta de um acordo sobre 100% do texto adiou a decisão final.

O Plenário acabou votando apenas a MP 518/10, que cria o cadastro positivo com dados sobre pagamentos em dia. “Aqui só votamos medidas provisórias. É o Executivo querendo impor sua agenda”, criticou o líder do PSDB, deputado Duarte Nogueira (SP), que acusou o governo de impedir a votação do código.

O líder da Minoria, Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), fez coro às críticas. “O acordo já se deu há muito tempo e, quanto mais o tempo passa, mais cresce a impressão de que o governo não quer votar o código”, afirmou, na tarde desta terça.

Também houve cobrança para que o relator apresentasse o texto, o que permitiria que os partidos sugerissem mudanças. “O DEM não vai abrir mão de fazer sugestões para melhorar o projeto”, disse o líder do partido, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA).

“O texto é técnico e complexo. Com a sua leitura, poderemos apresentar algumas emendas e chegar a um consenso”, acrescentou o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR).

Protesto
Durante as negociações, integrantes do Greenpeace e de outras entidades de defesa do meio ambiente realizaram um protesto no Salão Verde contra o novo Código Florestal.

Para a representante da Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi), Miriam Prochnow, a proposta do deputado Aldo Rebelo privilegia os proprietários rurais que já devastaram áreas que deveriam ter sido protegidas. “O relator vive dizendo que fez acordo com a sociedade, mas isso não é verdade. Até apoiamos um novo código, desde que seja debatido de forma séria”, disse.

Algumas Campanhas alertando sobre o novo texto.

O Código Florestal, lei que protege o patrimônio natural brasileiro, está sob grave ameaça. Tramita no congresso uma proposta de reformulação incoerente e sem base científica, movida por interesses retrógrados.

Se aprovada, milhões de hectares onde deveria ser protegida a vegetação nativa estarão livres para o desmatamento. Além disso, as áreas já desmatadas irregularmente não precisariam ser reflorestadas.

Isto trará impactos catastróficos para o equilíbrio das águas, solo e clima, assim como para a vida de plantas, animais e seres humanos


Tantas discussões podem sucumbir a hipocrisias partidárias e publicas, agora a onda em Brasilía e se dizer ambientalista. Onde estavam todos quando as primeiras regras foram criadas? Será que os nossos representantes conhecem sistemicamente os nossos biomas, em seu meio físico, seu meio biótico e seu meio sócio econômico?
Infelizmente após esta votação teremos sempre alguns questionamentos sobre para que lado foi puxada a sardinha... hw


6 de mai de 2011

Visita Técnica ao Parque Nacional de ITATIAIA



PQ NACIONAL DO ITATIAIA - RJ SÓ 3X DE 120,00
VAGAS LIMITADAS, RESERVE JA Á SUA

www.passearturismo.com.br
Incluso no pacote
- Traslado da Faculdade para a Pousada
- Pousada com piscina e sauna rústica (2 diárias)
- Traslado da Pousada para o parque nacional de Itatiaia
- Traslado do Museu até a cachoeira
- Hospedagem com café da manhã e jantar (sábado)
- Café da manhã e almoço (domingo)
- festa á fantasia ( fantasia não inclusa )
- Entrada no Parque Nacional de Itatiaia
- Guias especializados do local e da passear turismo
- Seguro de acidentes pessoais


Resumo do Roteiro
Sexta Feira
1º Ponto de encontro, na Rua Voluntários da Pátria, próximo ao numero 200, as 20h30 (Próximo ao metrô Tietê)
2º Ponto de encontro, Av. Aricanduva, próximo ao numero 5555 , as 21h
(Próximo ao Shopping Aricanduva, em frente a DICICO.)
- OBESRVAÇÃO
Chegar 30min. Antes para Check-in
Sábado
Café da manha - Trilha dentro do Parque Nacional de Itatiaia até as prateleiras, retorno para a pousada que estará nos aguardando com o jantar, e confraternização a noite.
O que levar para trilha dentro do Parque Nacional de Itatiaia (Parte Alta)
Mochila, blusa, calça (Preferência tactel), tênis pra caminhada(não usar tênis novo), bebidas não alcoólicas (água, suco, energéticos) alimento para a trilha ( frutas, bolachas, lanche ), protetor solar , repelente de insetos e maquina fotográfica
- OBSERVAÇÃO
Sairemos após o café da manhã e retornaremos a pousada para o jantar (não esquecer de levar alimentação para a trilha, pois não tem onde comprar)
Domingo
Café da manha, trilha dentro do parque com cachoeiras, museu, retorno para a pousada que estará nos aguardando com o almoço, e curtir os espaços da pousada, retorno para São Paulo.
O que levar para trilha dentro do Parque Nacional de Itatiaia (Parte baixa)
Mochila,camiseta, bermuda, shorts( Preferência tactel) ,roupas de banho para as cahoeiras, tênis pra caminhada(não usar tênis novo), bebidas não alcoólicas (água, suco, energéticos) alimento para a trilha ( frutas, bolachas, lanche ), protetor solar , repelente de insetos e maquina fotográfica


PASSEAR TURISMO

 Pacotes ecopedagogicos para atividades radicais em Cavernas, Rafting ou arborismo e trilhas com recreadores em parques Nacionais, Estaduais em São Paulo e no  Rio  de Janeiro entre em contato:

(11) 9318-5814 claro
(11) 64336960 TIM
(11) 3982-6293 Fixo

Prof. Jônatas J. Silva
msn.
jonnycalmo@hotmail.com
orkut. Jonatas J.
Nossa Equipe...
Prof. Jônatas J.
Geógrafo e especialista em Gestão Ambienta, Leciona a mais de 6 anos em colégios particulares, com sistema de ensino Objetivo, Positivo, Pueri Domus e foi efetivo do Estado. Trabalhou na Defesa Civil desenvolvendo projetos de ações preventivas, no qual foi ganhador de 2 prêmios consecutivos das Melhores Prática de Estágios CIEE, o que lhe rendeu 2 diplomas de Honra ao Mérito da Universidade Sant’Anna, no qual hoje é professor.
Prof. Ms Ronaldo Malheiros Figueira
Geólogo e Mestre pela USP, leciona na área das ciências ambientais a mais de 20 anos em universidade, coordenou o curso de turismo por mais de 4 anos, atualmente é coordenador da Defesa Civil do Município de São Paulo, atuando nas questões preventivas e recuperativas, alem de ser coordenador do curso de Geografia da Universidade Sant’Anna a mais de 10 anos.


Monitores
Todos os nossos monitores são capacitados para dar o melhor apoio aos alunos possíveis, além do pré-requisito para ser nosso colaborador, é que tenha uma formação, ou seja prof. e/ou já esteja no mínimo na metade do curso universitário.

Por: Renata C. G Nujo