12 de dez de 2010

Viva Pacaembu celebra reabertura da Casa Guilherme de Almeida

A Associação de Bairro Viva Pacaembu celebra reabertura da Casa  Guilherme de Almeida em café da manhã ao ar livre.

Para celebrar a reabertura da Casa Guilherme de Almeida , moradores do bairro do pacaembu, membros da Viva Pac e Autoridades , iniciaram o dia de sabado 11/12 com um café da manhã servido ao ar livre na praça Casa da Colina (situada na Rua Tacito de Almeida).

Logos após partiram em caminhada em um pequeno percurso pelas ruas do bairro até a CASA GUILHERME DE ALMEIDA  para se juntarem as autoridades presentes e participarem das solenidades de reabertura do Museu de Guilherme de Almeida.





O governador Alberto Goldman e o secretário da Cultura, Andrea Matarazzo, participaram neste sábado, 11, da reabertura do Museu Casa Guilherme de Almeida para a visitação pública e atividades voltadas à literatura. Inaugurado em 1979, o museu estava fechado desde setembro de 2006 para reestruturação e obras de adequação que custaram cerca de R$ 625 mil, realizadas pela Secretaria da Cultura.


O projeto arquitetônico e museográfico redefiniu a identidade visual do museu e o entorno da casa, oferecendo maior destaque ao acervo, em diálogo com a arquitetura da Casa. A Casa Guilherme de Almeida também foi equipada para atender pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Um elevador foi instalado nos fundos do imóvel, permitindo o acesso ao pavimento superior do museu.
Considerada o primeiro museu-casa biográfico e literário da cidade de São Paulo, a Casa funciona na antiga residência do poeta, tradutor, jornalista, crítico e advogado paulista Guilherme de Almeida (1890-1969). Durante o período em que esteve fechada à visitação, as atividades culturais não pararam - boa parte foi transferida para a Casa das Rosas, na Avenida Paulista. Foi realizada nova e completa catalogação do acervo, inclusive da biblioteca (cuja relação de títulos poderá ser consultada pela internet), e foram executadas ações de restauro de obras e objetos.
A Casa agora reabre com dupla identidade e função: além de ser Museu Biográfico e Literário, o museu possui também um Centro de Estudos de Tradução Literária, em sintonia com uma das principais atividades de Guilherme de Almeida, cujas traduções são consideradas modelares pela crítica. O Centro de Estudos tem realizado atividades desde março de 2009, na Casa das Rosas e no Museu da Língua Portuguesa.

Casa da Colina

O sobrado da rua Macapá, no Pacaembu, foi projetado pelo arquiteto Sílvio Jaguaribe Ekman em 1944. Lá, Guilherme de Almeida residiu de 1946 até sua morte, ao lado de sua esposa, Baby. Lar, refúgio intelectual e ponto de encontro da inteligência artístico-literária paulistana, o imóvel era chamado pelo poeta de "Casa da Colina".
O museu abriga raridades, como os livros, quadros e objetos que o poeta e sua esposa colecionaram durante sua vida. Merece destaque o conjunto de telas assinadas por pintores como Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Lasar Segall, Gomide, Tarsila do Amaral e Samson Flexor.

Entre as esculturas que integram o acervo do museu, vale destacar a peça em bronze criada por Brecheret intitulada Sóror Dolorosa (mesmo nome de um poema de Guilherme) - exposta durante a Semana de Arte Moderna de 1922 - e uma interessante cabeça de Baby executada pelo escultor suíço William Zadig, além de um busto do poeta esculpido por Joaquim Figueiras. Litografias de Rugendas, desenhos, aquarelas e iluminuras, de diversos artistas brasileiros, compõem os ambientes.

Entre os objetos decorativos destaca-se a prataria, com peças de origem brasileira, portuguesa, holandesa e inglesa. Há um bule de prata com incrustação de cristal de rocha lapidado e lavrado, que teria integrado os pertences de viagem do Conde Maurício de Nassau, no século XVII.

Outras preciosidades são os documentos e os cerca de 5.500 livros do poeta, incluindo-se o conjunto de obras publicadas por ele, em sua primeira edição. Entre os livros raros encontra-se um volume em pergaminho, do século XVII, e um exemplar da quinta reimpressão da primeira edição de Ulysses, de James Joyce, além de primeiras edições com dedicatória de livros de nossos maiores escritores como Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Guimarães Rosa.
Serviço

Casa Guilherme de Almeida

Rua Macapá, 187, Pacaembu.

(11) 3673-1883 / 3672-1391.

Funcionamento: terça a domingo, das 10h às 17h. (Visitas espontâneas: quartas, sextas, sábados e domingos; visitas agendadas: terças e quintas).

Entrada franca.

Fonte: portal do governo do Estado de São Paulo
Fotos: Sammy






Da Secretaria da Cultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário