11 de dez de 2010

COP16 Cancun México



Cancun, México: Os governos dos principais países do mundo estabeleceram nesta manhã de sábado, os fundamentos para a tentativa de um acordo global, que visa combater as alterações climáticas, fazendo uma série de compromissos para o progresso no âmbito das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (UNFCCC) COP16 negociações em Cancún.
Os Governos concordaram em um conjunto de decisões que apoiará novas negociações sobre o próximo ano com o objetivo de um resultado final na COP17, realizada em Durban, África do Sul.

"Após o resultado da Reunião de Governos em Copenhagen,os governos Chegaram em Cancun abatidos, e enfrentando uma pressão pública para agir sobre a mudança climática. Em Cancún foi possível estabelecer uma plataforma para o progresso, e agora os países estão voltando com um sentido renovado da boa vontade e algum senso de propósito. "

Após duas semanas de negociações, os governos fizeram progressos mensuráveis em várias áreas importantes, mas muito mais trabalho e alguns grandes desafios políticos permanecem.

"Por enquanto os governos não foram capazes de decidir sobre a segunda fase do Protocolo de Quioto, o processo foi colocado em pauta e com propósito de dar andamento e fazê-lo no próximo ano, em Durban. As principais dificuldades, contudo, permanecem com os países contestadores, ou seja, o Japão e a Rússia, que agora vão enfrentar pressões crescentes para se juntar à comunidade global em atender o Protocolo de Quioto.

Países no âmbito de Quioto reconheceram mais firmemente que eles precisam para reduzir as emissões de 25 a 40% em 2020 e admitiu que suas promessas de redução de emissões são apenas um começo e é preciso muito mais para alcançar o objetivo comum de limitar o aumento da temperatura a 2 ° C. Durante o próximo ano, eles precisam arregaçar as mangas e esteja preparado para muito trabalho e criatividade para fechar essa lacuna. "


A senadora Kátia Abreu recebeu esta manhã em seu hotel em Cancún o prêmio Motosserra de Ouro, por sua defesa ferrenha de mudanças no Código Florestal, que resultará em mais desmatamentos no Brasil.


Feliz Natal?

Em um apelo ao espírito natalino, um grupo de ONGs, entre elas o Greenpeace, levou Papai Noel até Cancún para ajudar a impedir que a bancada do agronegócio empurre suas propostas de mudança no Código Florestal goela abaixo dos brasileiros.


O bom velhinho ficou nesta manhã na porta do Cancun Messe, um dos prédios onde acontece a COP16, entregando mudas de árvores aos que passam, acompanhado de ativistas com dois cartazes, em português e inglês, onde se lia “Mudar o Código Florestal = Um Natal sem árvores”. Se as alterações no código forem aprovadas no Congresso, o Brasil pode se preparar para, no futuro, celebrar Natais com bem menos áreas de florestas.

O Papai Noel em Cancún teve como parceiros o Observatório do Clima, o Grupo de Trabalho Amazônico (GTA) e a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), além do Greenpeace.

foto fontes: Arquivo HW /

Nenhum comentário:

Postar um comentário