8 de jun de 2012

Belo Monte, anúncio de uma Guerra


Belo Monte, anúncio de uma Guerra

Ocorre no Auditório Ibirapuera a primeira exibição do documentário Belo Monte, Anúncio de uma Guerra – maior caso de financiamento coletivo do Brasil, que narra conflitos relacionados à construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte, em Altamira, Pará.

Iniciativa independente, após dois anos de filmagens nos arredores do Rio Xingu, o projeto foi finalizado com recursos obtidos por meio de crowdfunding (financiamento coletivo). Em 30 dias, conseguiu os maiores valor arrecadado e número de apoiadores neste tipo de ação: 140 mil reais de 3.429 apoiadores.

O documentário foca o ponto de vista dos índios, com apoio das associações e lideranças indígenas da região do Xingu, denunciando crimes ocorridos no processo e questionando o custo e a eficiência da obra, os objetivos políticos e os danos ambientais e sociais, que modificaram os hábitos dos povos da região e desequilibraram o ecossistema local.

Segundo o diretor André D’Elia, o filme prova que a obra da usina, desde o início, fere preceitos universais dos direitos humanos. “Os indígenas não tiveram nem mesmo os direitos garantidos pela Constituição respeitados. O filme dá voz a eles, que têm muito pouco acesso nos meios de comunicação tradicionais.”

Antes da sessão, os produtores do filme farão a entrega de obras exclusivas dos grafiteiros Mundano, Crânio e Armamento Visual para os principais colaboradores do projeto.
Projeto independente e coletivo

Sinopse: Belo Monte é uma usina hidrelétrica que o governo pretende instalar no coração da Amazônia, na Volta Grande do Rio Xingu, na cidade de Altamira, Pará. O documentário é um projeto independente e coletivo a respeito dessa obra, filmado durante três expedições à região do Rio Xingu, revelando os bastidores da mais polêmica obra planejada no Brasil, com entrevistas com os principais envolvidos, entre eles lideranças indígenas (como os caciques Raoni e Megaron), o procurador da República (Felício Pontes), o presidente da Funai (Márcio Meira) e políticos locais a favor da construção.

Ficha Técnica:

 
Direção: André D’Elia

 
Produção executiva: André D’Elia e Bia Vilela

 
Direção de produção: André D’Elia, Bia Vilela e Mauro Moreira

 
Direção de fotografia: Rodrigo Levy Piza e Federico Dueñas

 
Direção de som: Teo Villa e Diego Depane

 
Fotografia still: André D’Elia, André Souza, Federico Dueñas, Rodrigo Levy Piza, Mauro Moreira e Thiago Mundano

 
Desenho de som: Thacio Palanca

 
Motion grafics: Vital Pasquale

 
Montagem: Mauro Moreira

 
Trilha sonora: Beto Villares, Fabio Barros

 
Assistência de montagem: André Souza

 
Assistência de câmera: André Souza

 
Comunicação e marketing: Caio Tendolini, Digo Castello Branco, Daniel Joppert, Thiago Mundano

 
Grafite: Thiago Mundano

 
Pôster: Marcos Rodrigues

 
Consultor de conteúdo: Céu D’Elia

 
Site: Thais Sogayar

 
Empresa produtora: Cinedelia

 
Coprodução: Duca Filmes e Cinepro/dot

 
• Dia:17 de junho

 
• Horários:Domingo, 19h

 
• Duração:100 min

 
• Ingressos:GRATUITO

• Recomendado para maiores de 12 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário